domingo, 12 de fevereiro de 2012

Rendição.

"Estou entregue aqui, de joelhos.
Estou pedindo por clemência em um ato de rendição.
Quero dizer que asteio a bandeira branca diante de ti, 
E digo que contra o que sinto não posso lutar.


Meu caro, estou perdendo a guerra,
Estou lhe dando o coração pelo qual lutaste.
É teu o tão sonhado premio.
Pois não posso resistir mais ao teu olhar. 


Me ponho aqui, como teu espólio.
Desisto até de ser livre, para te pertencer.
Me entrego ciente de todos os riscos.
Pois o coração é um inimigo que não posso combater."