quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Realmente do silêncio ao grito...

Depois de meses de falação e gritaria internos em que lembranças e sentimentos se digladiaram dentro de mim, finalmente tive meus dias de silencio em que pude ouvir minha própria voz com clareza.
Por isso, meus amigos, é que tive esse longo período de ausência, pois enfim pude parar e pensar, ouvir e agir de acordo com meus reais intentos.
Mas agora que olho para trás e vejo tudo o que gritei por meses a fio, lembranças boas e tristes, meus pensamentos loucos e sãos que na confusão de um coração partido e uma vida dividida não sabia o que partilhar. E por esse motivo, agradeço a atenção e não, não deixarei de escrever, pois embora serena, ainda vivo e sinto.
E desse sentir e viver é feito meu coração, e por isso partilho minha alma com quem quer que queira ver, e falarei sim de meus amores e desamores, das decisões erradas e acertadas e da jornada e cruzada contra a infelicidade e ignorância (principalmente a ignorância de si mesmoem que tornei minha vida e sem medo direi o que tiver que dizer.
Novamente agradeço a todos e deixo aqui meu abraço literário a quem quer que se inspire ou partilhe dos momentos e pensamentos que aqui deposito.