segunda-feira, 18 de março de 2013

Lágrima

É o grito seco que preso na minha garganta,
Vai se encontrar com a lágrima com sabor de fel.
Lágrima que lavou a face e alma ao mesmo tempo,
Lágrima que carrega a dor.

É o tempo que, amigo, vem de mansinho,
E faz secar a lágrima que insiste em cair-lhe nas faces.
Lágrima que simboliza uma época que deve ser deixada para trás,
Lagrima que não deixa morrer a dor.

É o riso que aos poucos se faz bem-vindo,
E vai dando lugar a lágrima que já não quer mais aparecer.
Lágrima que cumpriu seu papel com maestria,
Lágrima que não retornará assim tão logo.